História do Marketing Digital

Antes demais nada, o que é Marketing Digital ? 

Marketing digital são uma série de ações implementadas por pessoas ou organizações com o intuito de gerar valor ou mais negócios para uma determinada marca.  Apesar de aparentar ser um fenômeno recente, o marketing digital existe desde a década de 80. 

A origem do Marketing Digital

O Marketing Digital surgiu no final da década de 80, com anúncios não-clicáveis promovendo assinaturas de internet. Em 1994, a revista Hot Wired nomeou este formato como banner, e passou a comercializá-lo oferecendo taxas de cliques aos anunciantes. O fim das restrições quanto ao uso comercial da internet em 1993 proporcionou a expansão de uma área que, até então, era praticamente inexistente. Portais de navegação como MSN, Yahoo e AltaVista surgiram no final dos anos 90, integrando diversas funcionalidades, entre elas as ferramentas de busca. O primeiro mecanismo de busca patrocinada foi o GoTo.com, criado por Bill Gross em 1998 e, posteriormente, adquirido pela Yahoo em 2007. Esse modelo de mecanismo foi aprimorado pela Google, fato que incorreu em um verdadeiro boom do marketing digital. Segundo Hootsuite (2018), cerca de quatro bilhões de pessoas acessam a internet, isto equivale a 53% da população mundial, sendo este número 4% superior ao ano anterior e há boas perspectivas de crescimento nos próximos anos. Este público investe maior parte do seu tempo on-line em redes sociais como Facebook e Instagram, que somavam, juntas, 3 bilhões de usuários ativos em 2017. As redes sociais superaram seu propósito inicial de comunicação pessoal e entretenimento, transformando-se em ambientes propícios para disseminar e consumir informações e, principalmente, estabelecer relações comerciais. Neste contexto, o Marketing Digital torna-se cada vez mais necessário dentro das empresas, uma vez que o cliente está conectado e sendo impactado por todo o tipo de informação, o que leva a uma necessidade crescente de identificar e atrair esses possíveis clientes. As redes sociais transformaram-se em pontos de interesse do marketing digital, devido a sua capacidade de agregar-se a outras estratégias já estabelecidas, como o marketing de conteúdo e as buscas patrocinadas.

Principais Estratégias de Marketing Digital

As estratégias mais utilizadas pelas empresas adotantes do Marketing Digital são chamadas de Marketing de Interrupção, também conhecido como Outbound Marketing, onde através de anúncios há uma exposição forçada de marcas, produtos, serviços ou ideias. Esta exposição se dá desde a exposição em comerciais de televisão, panfletagem nas ruas até links patrocinados na internet, muitas vezes sendo apresentada ao público-alvo errado, que não possui interesse de fato no que foi apresentado. Conforme observado por Halligan (2010), o propósito do marketing atualmente é atrair a atenção dos usuários, fazer algo relevante que atraia o público e crie um relacionamento com a sua marca. A partir desse objetivo, faz-se necessária a adoção de novas estratégias para o meio on-line das empresas. O apanhado de ferramentas que buscam causar uma maior atração dos usuários sem interrompê-los durante a navegação resulta no chamado Inbound Marketing. Logo, questiona-se como as empresas devem avaliar o impacto da adoção deste conceito em seus negócios, e mensurar os retornos que ela pode apresentar.

Empresas devem contratar uma Agência de Marketing Digital?

Apesar de muitas empresas encontrarem algumas restrições na hora de contratar uma Agência de Marketing Digital, apesar de parecer muitas vezes um serviço caro,  pode-se ganhar e muito em qualificação tempo e até mesmo em dinheiro.

Investir em Qualificação

Ao contratar uma Agência de Marketing Digital sua empresa investe em qualificação. Em comparação à uma equipe InHouse (equipe interna), uma agência possui profissionais com tempo de mercado e com experiências nos mais diversos nichos. Todos dispostos a atingir resultados para você e sua empresa.

Tem Uma Equipe Sólida

Uma equipe sólida pronta para atender, compreender, formatar e executar os projetos de acordo com a sua necessidade.

Vende Tempo

Ao contratar uma agência de marketing digital você e sua empresa focam na venda de seus produtos e serviços, deixando toda a parte de estruturação e execução de marketing digital para a agência.

Renova a Sua Marca

Ao passar sua marca para uma agência realizar um trabalho de marketing digital a sua marca pode passar por uma reformulação e até mesmo um reposicionamento de mercado.

Oferece Ferramentas Insubstituíveis

Agências de Marketing Digital trabalham com as mais variadas ferramentas para executar os seus projetos. Além de Facebook Ads, Google Ads e Google Analytics muitas trabalham com ferramentas para automação, análise e execução de projetos. Algumas ferramentas como SEMrush, Dashgoo e MLabs estão entre as mais utilizadas para dar suporte ao trabalho executado.

O que se pode vender pelas plataformas e-commerce

Nas plataformas e-commerce podem-se vender uma gama bem grande de produtos.

Mas o que podemos ou não vender? Existe uma listagem de produtos aceitos pelas plataformas e-commerce para venda?

Não, não existe. Para vender um produto pelas lojas virtuais são necessários alguns cuidados na hora de decidir mudar ou iniciar nesse tipo de negócio.

Lembrando que existem as plataformas e-commerce pagas e as gratuitas.

Algumas dicas para vender em plataformas e-commerce

1. Produtos com baixo volume cúbico: quanto maior for o produto, maior espaço de armazenagem será necessário. Ou seja, um depósito grande. É necessário pensar nisso, pois os preços de aluguéis, por exemplo, mudam signitivamente por m² para aluguel de depósitos.
Mas, quanto menor for o produto, menos espaço será necessário para seu armazenamento. Entretanto, produtos menores chamam bem mais atenção de ladrões, a segurança terá que ser redobrada.

2. Baixo peso: quanto mais leve for o produto, menor o custo com frete.

3. Commodities: são aqueles produtos encontrados em outras lojas, com facilidade, e com preço competitivos.

4. Frequência de Compra: produtos que são comprados com mais frequência pelos consumidores são ótimos para e-commerce. Principalmente se você conseguir compreender o comportamento do consumidor, como por exemplo, identificar os padrões de compra e os momentos de compra. Pois assim, você vai conseguir antecipar alguns procedimentos do seu negócio, por exemplo a demanda, negociar valores e prazos com seus fornecedores, entre outros.

Esperamos que essas dicas acima ajudem com seu negócio. E lembre-se! Sua plataforma e-commerce precisa ter redes sociais, conteúdo, segurança com os dados dos seus clientes. E não se esqueça, como lojista deve estar sempre em busca de conhecimento e levando novidades para seus clientes.

Confira outros posts:

5 dicas sobre Agência Digital

3 dicas sobre links patrocinados