Como cuidar da saúde dos ouvidos no verão

O verão é a estação do ano mais esperada por aqui, com praias sensacionais e uma enorme extensão de mar para desbravar a estação é sinônimo, também, de infecções nos ouvidos, pois os banhos em rios, piscinas e o banho de mar ocasionam entrada de água no canal auditivo maior que o habitual. Com isso, os indivíduos ficam à disposição de algumas infecções que são propícias ao calor e umidade. 

Segundo informações vindas dos consultórios médicos, a infecção de maior incidência nessa época é a Otite Externa. Ela ocorre quando a pele do ouvido infecciona devido ao acúmulo de líquido decorrente do contato com água em imersão como em piscinas, banheiras, rios e mar. 

Assim, o local fica úmido favorecendo a proliferação de bactérias, provocando sensibilidade e dores e os sintomas principais são ouvidos entupidos, perda auditiva temporária, sensibilidade em toda a região da orelha e zumbido.

Quando o ouvido infecciona o canal auditivo incha e fica sensível, também produz secreção e a dor é extrema. Em alguns casos, o indivíduo pode ter febre. 

Outros fatores que causam as infecções no verão podem ser o consumo excessivo de gelados, ventilador e ar-condicionado direcionado e limpeza incorreta.  

Em vista disso, em situações de sensibilidade e dor nos ouvidos nada deve ser introduzido neles, muito menos hastes de algodão ou cotonetes. Elas ajudam a empurrar a cera natural que o ouvido produz para proteção, acumulando no interior do canal e prejudicando ainda mais a infecção. 

Para muitos especialistas, o uso de cotonetes em situações normais também é tratado com atenção pois podem causar traumas. Aliás, o hábito que se tornou comum na dia a dia não é bem recomendado, em geral. 

Ao transcorrer situações graves ou de sensibilidade, compressas de água morna são indicadas para aliviar a dor e o desconforto.

Ademais, como o canal do ouvido é exposto, mesmo em situações normais é aconselhável não ficar muito tempo dentro d’água, pois, ao entrar no ouvido, resquícios ficam retidos no interior causando infecções. Por essa razão, quanto mais tempo for o banho em imersão mais tempo o ouvido fica em contato com a água.  

Então, ao sentir o ouvido cheio, vire de lado, dê pequenos pulinhos mas não introduza nada. E quando estiver no mar alguns cuidados são necessários, também. Por exemplo: evite quebrar as ondas estando de lado para elas, além de entrar muita água a força da onda pode perfurar a membrana do tímpano causando problemas mais severos.

Outro fator a ser levado em consideração é a limpeza da água. Em ambientes sujos, contaminados ou piscinas públicas mal higienizadas, um maior número de colônias de fungos e bactérias pode ser encontrado. E isso certamente é um fator de risco!

Atenção!

Nunca utilize álcool, azeite ou líquidos dentro do canal auditivo. Busque auxílio de um profissional, médico especialista, para saber o tipo de infecção e qual medicação deverá ser utilizada. Geralmente, para casos infecciosos, antibióticos são recomendados.  

Se está com algum desconforto, entre em contato com a Ouviclin. Lá você encontra a mais alta tecnologia em aparelhos auditivos. Veja todos os serviços. Solicite o atendimento domiciliar com as melhores soluções para você e sua família.